A boneca


No dia de seu aniversário Lúcia foi acordada por sua madrasta lhe trazendo um grande pacote recebido pelos correios e endereçado a ela.

Animada com o embrulho a garota rapidamente desembrulhou o pacote e ficou horrorizada com o seu conteúdo, pois dentro da caixa havia a boneca mais repugnante que ela já havia visto.


A boneca era velha, completamente careca, com a pele rachada e coberta de poeira. Mas, o pior de tudo era a boca do brinquedo que apresentava dentes longos e afiados como se fossem as presas de um animal

Com um calafrio percorrendo seu corpo a criança atirou a boneca no chão, em direção a um canto. No mesmo instante sua madrasta lhe chamou a atenção, dizendo que alguém deveria ter tido trabalho para lhe enviar esta boneca antiga, e por isto, ela deveria se sentir agradecida.

Lúcia tentou protestar , mas sua madrasta não quis ouvi-la e a forçou a continuar com a boneca se recusando a jogar o brinquedo fora. Para não contrariar sua madrasta, a criança enfiou a boneca em um armário embaixo da escada, bem atrás de uma pilha de sapatos onde ela não precisaria olhar para aquela coisa feia.

Passada algumas noites, Lúcia estava deitada na cama quando ouviu um barulho: era um som estranho que ela não conseguia identificar... O barulho cessou e depois continuou por alguns minutos. Agora ela conseguia perceber que o som era como se algo caminhasse com pequenos passos.

Lúcia tremia em sua cama, incapaz de se mover. Ela dormia sempre com a porta aberta para aproveitar a luz que vinha do corredor, pois morria de medo do escuro. Logo pareceu que ouvira uma voz surrando para ela lá do corredor:

- Lúcia, eu estou no quinto degrau.

A criança, completamente apavorada, cobriu sua cabeça com os cobertores e ficou tremendo de medo, porém os sons pararam subitamente.

Naquela noite Lúcia não conseguiu mais dormir e ficou embaixo das cobertas até o dia amanhecer, quando sua madrasta entrou no quarto para acordá-la.

Lúcia contou o ocorrido para sua madrasta, que lhe explicou que tudo isso deveria ter sido um pesadelo. Mesmo assim a criança implorou a sua madrasta para que a deixasse jogar a velha boneca fora, mas ela insistiu que o brinquedo tinha sido um presente e ela deveria guardá-la. A madrasta dela ainda foi até o armário e lhe mostrou que o objeto estava no mesmo lugar de sempre.

Contrariada,Lúcia passou a dizer a si mesma que tudo não tinha passado de um sonho.
Naquela noite, Lúcia tentou ficar acordada o maior tempo possível , mas logo foi vencida pelo cansaço. Depois de um tempo foi acordada por uma voz abafada que dizia:

- Luuciaaaa eu estou no décimo degrau...

Novamente a criança colocou o cobertor na cabeça e passou a chorar de medo, não dormindo mais naquela noite. Como da outra vez, o som da voz acabou e ela não ouviu mais nada até o amanhecer.

Na escola Lúcia contou aos seus amigos sobre a boneca, porém todos riram e fizeram piadas sobre ela. Lúcia então calculou que se a boneca subia cinco degraus por noite na próxima chegaria até o alto da escada e ficaria de frente para o seu quarto.

Apavorada, Lúcia decidiu dormir com a porta de seu quarto fechada e com a luz acesa. Quando a sua madrasta entrou no quarto para lhe dar boa noite perguntou por que ela fechara a porta. Lúcia então  perguntou se poderia deixar a luz de seu quarto acesa, em vez de deixar a porta aberta, para aproveitar a luz do corredor. Mas, sua madrasta lhe disse que a luz do quarto era muito forte e isso não lhe deixaria dormir.

Dessa forma, Lúcia concordou em dormir com as luzes apagadas e com a porta fechada. Para  não ficar completamente escuro ela abriu as cortinas para tentar clarear um pouco seu quarto.

Assim que ela começou a cochilar passou a ouvir um barulho... e então a voz veio, mais clara e alta do que das outras vezes:

- Lúciaaa eu estou no topo da escada....

Na escuridão de seu quarto ela viu a porta abrir lentamente...

Na manhã seguinte o corpo da garotinha foi encontrado na parte debaixo das escadas. Eles imaginaram que ela teria ido até o banheiro durante a noite, tropeçado e caído pela escada quebrando seu pescoço.

Ao lado da criança fora encontrada uma velha boneca, sua madrasta então, pediu que ela fosse enterrada com o brinquedo.

- Ela amava tanto esta boneca... Agora elas podem ficar juntas para sempre – disse a madrasta.


0 comentários: