As 10 comidas mais nojentas do mundo

                     14
A alimentação é algo vital para o ser humano. É possível dizer que a alimentação ditou toda a construção social do homem. Ela envolve não somente as necessidades físicas do indivíduo, mas também aspectos mentais, culturais e sociais. Muita história está por trás das suas refeições diárias.
As mais diversas etnias que habitam nosso mundo apresentam uma alimentação muito diversificada. O que são hábitos naturais para uns podem ser exóticos ou nojentos para outros, muitas vezes causando reação de surpresa e repulsa. O nosso paladar é muito influenciado pelos fatores tradicionais e culturais.
Para que um alimento seja “aprovado”, ou não, não basta ele ter um bom aspecto, mas sim pelo conceito e tradições já estabelecido em certas culturas. Muitos países tem certas iguarias, que variam de básicas e indispensáveis à “estranhas”, nocivas e repugnantes. Desta forma para nós brasileiros o consumo dos alimentos que você verá a seguir não é comum, mas todos apresentam algum benefício nutricional.

Publicidade

Verme do Tronco

10

Esses vermes vivem dentro de troncos de árvores e chegam a até 5 cm de comprimento. Eles são uma ótima fonte de proteínas e são largamente consumidos no território asiático.

Ovo Secular

11

É uma iguaria da culinária chinesa que é feito da seguinte maneira: conserva-se (geralmente enterrado) um ovo de pato, galinha ou ganso em uma mistura de argila, cinzas, sal, cal e amido de arroz, por diversas semanas, ou por meses, dependendo do método de preparo.
A gema do ovo assume uma coloração que varia entre o verde claro e o verde escuro, enquanto a clara varia entre o marrom escuro e a transparência. A gema é cremosa com um aroma acentuado, e possui um sabor que se assemelha ao de queijo. A clara possui uma textura que se aproxima da textura da clara cozida, mas possui pouco sabor.

Queijo Pecorino Italiano

12


Pode ser que nem todos os aspectos da gastronomia italiana te agradem.  Esse prato também é chamado de Cazu Marzu. É feito com leite de ovelha. O bom senso bateu na porta dos italianos e esse tipo de queijo foi proibido de ser produzido. O motivo? Larvas de moscas vivam fazem parte dos ingredientes. Elas fermentam o queijo até um estado de “quase-decomposição” para que ele possa ser “apreciado”. Outro detalhe: O queijo deve ser consumido enquanto as larvas estão vivas, caso contrário, o alimento se torna altamente tóxico.

Sopa de Morcego

13
Receita famosa na Ásia, a sopa de morcego é feita com um morcego inteiro (não se retira pele e órgãos), leite de coco e legumes.

Cérebro de macaco

15
China, Malásia, Vietnã, Indonésia e Tailândia adoram essa iguaria. Geralmente é preparado com molho e servido com pão. Segundo a tradição dos países comer o cérebro dos primatas deixa a pessoa mais inteligente.

Vitamina de sapo

16

Nada de Ásia nessa iguaria. Essa vitamina é obra dos Peruanos. A bebida, segundo os peruanos, é quase milagrosa. Dizem as más línguas que ela pode curar asma, bronquite e falta de desejo sexual. Caldo de feijão branco, aloe vera crua, raiz de maca, um sapo sem olhos e ossos e mel a gosto são os ingredientes da bebida.

Café de cocô de Civeta

17

O Kopi Luwak é um dos cafés mais caros e estranhos do mundo. Ele é produzido com grãos de café extraídos das fezes do civeta, um mamífero do mar Mediterrâneo. O civeta seleciona os grãos antes de ingeri-los, mas apenas a polpa é digerida, e a semente passa intacta pelo sistema digestivo do animal. Durante a digestão, as bactérias e enzimas únicas do animal tornam-se os responsáveis pela diferença de qualidade do café industrializado.

Três Squeeks

18
O prato é nada mais, nada menos do que três filhotes de ratos. O pior: muitos consomem o alimento enquanto ele está vivo.

Ânus de Javali

19
Um dos pratos mais apreciados por tribos nativas da Namíbia. O prato é assado lentamente nas cinzas. Detalhe: não se costuma fazer uma prévia limpeza do animal.

Cabeça de salmão fermentado

20
A cabeça de salmão fermentada (para não dizer “quase decomposta”) é bastante apreciada por nativos do Alasca. O alimento é apreciado cru e com uma pasta de ervas. A cabeça de peixe é enterrada por 1 semana dentro de sacos plásticos, para “amaciar” a carne. Diversos casos de intoxicação alimentar e botulismo são registrado devido a prática.

0 comentários: