Area 731



O Japão foi palco de um dos maiores segredos da história. Um segredo terrível que ficou guardado por 40 anos nos subsolos japoneses, e sua descoberta fez o governo japonês revelar ao mundo uma história assustadora sobre cobaias humanas para o desenvolvimento de armas biológicas!


[leiamais]
Em 1989, operários que trabalhavam na estação de Shinjuku, em Tóquio, fizeram uma descoberta surpreendente: No subterrâneo, estavam enterrados restos humanos de centenas de pessoas!
Estas pessoas foram cobaias de experiências militares durante a Segunda Guerra Mundial, e eram aprisionadas em um campo de concentração conhecido como Unidade 731, localizado na Manchúria. Com o final da guerra, os corpos e cobaias restantes foram transferidos para o laboratório do médico responsável e ali foram enterrados. O laboratório era localizado à poucos metros de onde os operários encontraram os restos mortais e era conhecido como "Escritório de Purificação da Água", para não levantar suspeitas.



Mapa da China, a Manchúria está localizada na área em destaque laranja no topo, a Unidade 731 ficava na área em vermelho.


A Unidade era comandada por Shirou Ishii, médico da Universidade de Kyoto e microbiólogo do exército que chamara a atenção dos mais poderosos por causa de seu carisma e interesse em pesquisas com armas biológicas. Ele fora promovido em pouco tempo e, com um pouco de pressão em cima dos seus chefes, conseguiu verba e cobaias para começar a sua primeira pesquisa para o desenvolvimento das armas.
Sua primeira missão foi chamada de "Unidade Togo" e seu laboratório da Unidade 731 na Manchúria era enorme. Um complexo gigante com laboratórios e prédios próprios para "manterem" as cobaias. Os escolhidos eram prisioneiros de guerra, criminosos comuns e até "pessoas suspeitas".



Shirou Ishii


Testes de vários tipos de doenças e resistência eram aplicados nos prisioneiros; alguns foram expostos às bactérias do anthrax e da peste, que também eram jogadas em plantações através de aviões; outros eram parcialmente congelados no inverno rigoroso chinês e os soldados batiam em seus braços e pernas com pedaços de pau até que produzissem o tão conhecido som metálico de congelamento, outros eram envenenados com gás, ficavam pendurados de ponta cabeça até morrerem asfixiados, e até tinham ar injetado em suas veias, para acompanhar o processo de formação de embolia nos órgãos humanos.
Tribos inteiras foram submetidas à doenças graves, como a cólera, dissecamentos em cobaias vivas aconteciam sempre, e o dr. Ishii registrava tudo em seus arquivos dizendo que as experiências eram feitas em macacos. Até hoje muitos se surpreendem com a frieza do médico, que em momento algum demonstrara remorso ou culpa, muito menos antes de sua morte em 1959.

Quando a guerra terminou em 1945, as atividades da Unidade 731 foram encerradas, e Ishii conseguiu fazer com que todos os participantes das experiências mantivessem segredo sobre o que acontecia por ali. Até mesmo as cobaias sobreviventes foram induzidas à não revelarem nada do que viram/passaram durante o período em que estiveram aprisionados. Porém, quando o segredo veio à tona em 1989, muitos ex-prisioneiros apareceram e revelaram o que sabiam para o mundo.
Infelizmente poucos receberam a devida atenção, e o governo japonês recusou-se a pagar indenização às vítimas e suas famílias. E mesmo com protestos, um pedido de desculpas - como os alemães fizeram no final da Segunda Guerra - não aconteceu.

A China, o país mais prejudicado com a Unidade (Além da base ser localizada no país, estima-se que mais de 300 000 chineses tenham morrido durante o período de existência da Unidade 731) criou uma réplica do prédio, uma vez que o original fora incendiado pelo exército Imperial após a Segunda Guerra, para mostrar ao povo o que realmente acontecia dentro da Unidade 731. A réplica atualmente funciona como um museu e fica localizado no local da Unidade original, na Manchúria.



Foto do museu


Também existe um filme sobre os acontecimentos na Unidade 731. O filme chama-se Men Behind the Sun (OsHomens Por Trás do Sol, em tradução literal) e contém cenas fortes e detalhadas das experiências sob as quais as cobaias eram submetidas.





Aqui uma cena completa do filme, das experiências nos braços (CENA FORTE)



Os cientistas responsáveis jamais foram punidos pelo que fizeram. Todos tiveram futuros promissores após o término da Unidade 731, com cargos altos no governo (Ishii, por exemplo, tornou-se governador de Tóquio), donos de empresas farmacêuticas e muito mais. Enquanto isso, muitos familiares ainda sofrem a perda de seus entes queridos e lutam para que os culpados acabem na prisão.

Quantos segredos mais o mundo não esconde?

Um comentário:

  1. Passando só para avisar que você foi mencionado e indicado a uma tag pelo blog http://luadarkbr.blogspot.com/ =)

    ResponderExcluir