Amostra Netflix IX


 
Se isso funcionar, minha mensagem será passada. Eu sei que as chances são mínimas, e sei também que você nem deve ligar ou queira saber, mas peço que leia a minha história e aprenda com o meu erro. É a única coisa que posso fazer.

Meu nome é Levi. Sou uma pessoa comum, passo a maior parte do meu tempo assistindo TV, Youtube e Netflix. É meio irônico dizer isso, mas se não fosse pelo fato de que eu assisti e li tantas creepypastas, eu provavelmente estaria morto. Isso soa meio estúpido, eu sei, mas não deixa de ser verdade. Há algumas noites, eu estava assistindo séries no Netflix com a minha namorada Megan, nós tínhamos acabado de ver um filme do Weird Al “UHF” e estávamos decidindo qual seria o próximo filme da noite. Eu mencionei “O sexto sentido” e Megan disse nunca ter assistido o filme ou se quer sabia que o filme tinha um final inesperado. Achei o fato dela não saber o final do filme uma coisa muito rara, porque afinal, quem não sabe o final de “O sexto sentido”? Então decidi procurar no Netflix se tinha o filme, digitei “sexto”, pensando que o filme iria aparecer.

Ele não apareceu.

Mas nos resultados da procura, um ícone me deixou intrigado. Era apenas o logo do Netflix. Sem título nem nada. Olhei espantado para Megan e ela apenas levantou os ombros, indiferente. Era algo muito estranho, porém parecia inofensivo, afinal, não tinhamos escolhido o que assistir ainda, então decidi selecionar o vídeo e ver a descrição. O título completo do “filme” era “Amostra Netflix VI”, o elenco era descrito apenas como “Ator” e “Atriz”, a descrição contia apenas termos técnicos referentes aos equipamentos usados. Sabia que tinha algo estranho com esse filme, algo como o que vejo em creepypastas, porém falei para mim mesmo ao dar play que creepypastas não são reais.

O vídeo começou com uma fonte com água jorrando da ponta. Nós sempre usamos legendas porque Megan gosta delas, porém tudo o que dizia era “Não existe choro no baseball!”. Isso já era muito bizarro para mim, por causa do contexto que estava sendo apresentado, eu não iria ficar assustado por conta de fontes de água e legendas mal feitas, porém quando se trata de um filme com uma descrição vaga e um nome genérico, isso me deixou com o pé atrás em continuar vendo o filme, mas continuei. Após um tempo, uma mão entrou na fonte e começou a brincar com água. Essas imagens bizarras continuaram, mostrando coisas como um homem dançando moonwalk com um laptop em mãos, fazendo malabarismo e até recitando um monólogo antes de fazer sons de estalo para a câmera. Enquanto estavamos assistindo esse filme, uma ideia me veio a cabeça: se eu achei esse filme digitando “sexto” no Netflix, o que eu acharia se eu digitasse apenas “netflix” na aba de buscas. Minha curiosidade ganhou, após procurar por “netflix” um monte de “amostra de filmes” apareceram. Não sei o que aconteceu, mas algo me fez assistir todos.

Por queeee? - Megan disse, se movendo inquietamente no sofá, pois assistir aqueles filmes não era a coisa mais legal do mundo.
Eu não sei, curiosidade. - Eu disse para ela enquanto colocava vídeo após vídeo, parando no meio de cada um antes de ir pro próximo.

Todos eles pareciam iguais, até que chegamos no filme IX.

Assim, não tinha nada de anormal com o IX, ele começou exatamente igual aos outros, mas algo me parecia diferente nesse filme. Era como o sentimento que você sente quando está em um sonho e sabe que o perigo não é real, mas acaba sentindo medo por pouco tempo antes de acordar. Aconteceu logo após o monólogo, quando o ator começou a fazer o som de estalo para a câmera. O som parecia ecoar na minha sala e progressivamente na minha casa inteira, parecia me sufocar e Megan parecia estar pálida. Do nada o som parou. A tela ficou branca e não havia mais som de estalo, fonte, apenas... silêncio. Após alguns segundos, o silêncio foi quebrado quando um círculo branco apareceu na tela com um som muito agudo, e por mais que eu me envergonhe de dizer isso, eu gritei. Senti calafrios e me senti um idiota por gritar porque vi um círculo branco na TV, talvez devêssemos ter visto “O chamado” em vez desses 'filmes' bizarros. O círculo começou a piscar, toda vez que piscava o som voltava a aparecer. Depois disso apareceu uma tela estranha, daquelas que aparece quando há algum problema com a transmissão. Quando finalmente o filme acabou, olhamos um para o outro e rimos alto.

“Nossa, isso foi assustador pra caralho.” - Megan riu enquanto deitava soltando um suspiro.
“Sim, estranho pra caralho.” - Eu disse enquanto me arrumava no sofá.

Não sei o que me deu na cabeça, mas eu olhei para a tela novamente e salvei o filme para a minha lista de filmes. Este foi o meu pior erro, eu acho. Olhei para a janela e percebi que estava completamente escuro lá fora. Eu me lembro que achei isso muito confuso, pois o vídeo tinha a duração de apenas alguns minutos e eu tinha certeza que ainda era umas três horas da tarde quando começamos a assistir, mas acabei deixando isso pra lá, vai ver que eu olhei as horas errado ou meu relógio tinha parado de funcionar na hora que eu vi.

No próximo dia fui almoçar no KFC, eu sei, super saudável. Quando comecei a comer, senti meu estômago revirar, bem, tá na hora de eu ir fazer uma visita ao banheiro masculino. Quando sentei no 'trono', tirei meu celular do bolso para ver meus e-mails, porém lá estava o vídeo do Netflix carregado e pronto para assistir. Eu pensei, deve ter aberto enquanto estava no meu bolso, sei lá. Daí pensei, bom, já que não tenho nada para fazer, vou assistir de novo esse vídeo bizarro. Mesma legenda estranha. Mesmo som bizarro. Mesmo círculo piscando. Eu podia ter parado o vídeo, mas não parei. Eu fiquei sentindo como se, se eu parasse de assistir eu iria perder alguma coisa no vídeo, que havia algo FALTANDO no vídeo que eu não sabia o que. Foi aí que escutei um barulho vindo da porta, um barulho de alguém batendo na porta que me fez sair do transe. Era a mulher da limpeza.

“Senhor, estamos fechados agora, por favor se retire.” - A mulher da limpeza disse.
Fechados? Como assim fechados? Como isso é possível?. Estamos no horário de almoço, como pode ser de noite já? Mesmo não sabendo como, eu tinha perdido 7 horas do meu dia. Eu saí de lá confuso e sem entender o que havia acontecido. Liguei para Megan.

“Megan, é o Levi.” - Eu disse enquanto andava para o ponto de ônibus.
“Levi? Porque você está ligando tão cedo?” - A voz dela parecia que ela havia acabado de acordar, como se ela tivesse distraída ou algo assim.
“Cedo?” - Eu perguntei. Eram sete horas da noite, não tinha como ser de manhã.
“Sim... São tipo, dez horas da manhã. Você saiu de casa uns dez minutos atrás.”
Senti um sentimento de desespero dentro de mim.

“Meg, o que você está fazendo?” - Perguntei, hesitante, já sabia a resposta.
“Hmm? Só assistindo aquele vídeo bizarro de ontem. Estava carregado no xbox quando eu liguei ele.”
“Meg, pega seu telefone e veja as horas.”
“Ahm? Porque eu iria f...” - A voz dela se distanciou enquanto falava, aí ouvi seu grito de espanto.
“Mas que merda é essa?” - Ela disse, surpresa.
“Fica aí, to correndo para sua casa.” - Disse para ela enquanto corria para casa em vez de pegar o ônibus. Não gostava nem um pouco dessa situação.

Quando cheguei em casa Megan abriu a porta e perguntou o que estava acontecendo. Eu corri para o xbox. Isso tudo era muito estúpido e impossível. Como um vídeo poderia me fazer perder sete horas do meu dia? Porque a Megan achou que eram dez horas da manhã? Só havia um jeito de saber a verdade, liguei o Netflix, selecionei o vídeo e coloquei para o vídeo carregar. Megan sentou do meu lado e falou:

“Levi?”
“Que horas são?” - Eu perguntei após descobrir que meu celular tava sem bateria.
“Hmm..” - Ela foi checar o telefone dela, mas também estava sem bateria.

Então olhei no xbox. Eram 8:45 da noite. No tempo em que o vídeo terminar, vão ser 9 horas. Precisavam ser. Devia ter alguma coisa no vídeo que explicasse o que estava acontecendo com a gente. Era a mesma coisa, fonte, som, eco, homem, círculo branco, círculo branco, círculo branco, som agudo, círculo branco. Desculpe, eu ainda me sinto estranho pensar sobre isso, como se eu fosse perder o tempo pelo simples ato de pensar no vídeo. Então ouvimos um barulho na porta. Um barulho, às 9 horas da noite? Quem poderia ser? Nos fez sair do transe e a Megan foi abrir a porta.
“Entrega para a senhora... Megan?” - O homem com uniforme de carteiro segurava um caixa branca e uma prancheta disse.
“Essa sou eu. Por favor, que horas são?” - Disse Megan.
“São mais ou menos 10:30, ele sorriu, pegando a prancheta de volta. Eu me lembro pensar naquela hora, 10:30? Será que ficamos vendo o vídeo por mais de uma hora?
“É um pouco tarde para fazer entregas, não acha?” - Ela disse para o carteiro, franzindo a testa.
“Bom, eu tento entregar todas as encomendas antes do almoço. Tenha um bom dia madame.” - O carteiro disse antes de sorrir e descer as escadas.

Horário de almoço? Será que ficamos assistindo aquele maldito vídeo a noite toda? Ah, se fosse apenas isso. Quando Megan sentou no sofá de novo ela parecia pálida como um fantasma.

“O que houve, amor?” - Perguntei para ela enquanto colocava minha mão por cima da sua.
“Essa encomenda... era para chegar quarta-feira..” - Ela falou, quase sussurrando para mim. Precisei de um momento para cair a ficha. Era sábado, ou pelo menos domingo. Mas pensei, os correios não funcionam de domingo.

Agindo sobre impulso, corri para o outro lado da sala e coloquei o celular de Megan para carregar. Assim que havia bateria suficiente para ligar, eu liguei e vi a data. Era quarta-feira. Perdemos quatro dias assistindo aquele vídeo e nem notamos. De repente senti o cansaço bater, o estômago vazio, os olhos quase fechando. Me senti horrível, nunca havia me sentido tão esgotado fisicamente quanto me senti e Megan também. Nos quatro dias que perdemos assistindo aquele vídeo, Megan foi demitida do seu emprego porque faltou sem dar nenhuma satisfação. E eu, bem, eu não tinha nada a perder, a única coisa que tinha era Megan. Ela é a única pessoa que tenho. Sabendo o que sei agora, dei a ela uma chave da minha casa, porque ela podia ser a única pessoa que pode me ajudar. Meu celular está com 30% de bateria, mas deve ser o bastante.

Vou assistir o vídeo de novo. Apenas mais uma vez. Coloquei o alarme para despertar daqui 7 horas, então deve ser o bastante. Se eu me perder mais alguma vez, nunca mais irei assistir esse vídeo, não importa o quão tentador seja. É como heroína, crack ou cocaína, quando você começa a assistir, você se sente impossibilitado de parar, mas eu tenho certeza que existe algum jeito de parar, não sou um idiota. Mas em caso de alguma coisa não dar certo, estou escrevendo essa carta para vocês. O vídeo está carregando, então eu espero que eu consiga apertar o botão de “enviar” antes dele começar. Se alguma coisa errada ocorrer, quero que o mundo saiba que eu amei a Megan e que eles não devem procurar pela amostra do Netflix IX. A data de hoje é 12/06/2013. O vídeo acabou de carreg...

Merda! Fiquei preso no vídeo, o alarme não tocou. Meu celular deve ter desligado por causa da bateria. Não consigo falar com a Megan. Me sinto muito fraco, é muito difícil digitar. Preciso de descanso.



Pra quem não acredita, tem aqui o link na Netflix(aqui), mas se você não tiver conta lá, também tem no Youtube desde 20011.


0 comentários: